sexta-feira, junho 20, 2014

DELÍRIOS DO TEMPO...


Era você a adrenalina pura a excitar meus sentidos.
Sua voz, seu cheiro, sua ousadia e timidez,
Junção perfeita da medida certa do meu encantamento.
Era a   potência do desejo a extasiar-nos o querer.
A juventude aflorada, exibida,  a fim de florescer.
Nossos corpos como duas chamas,
Labaredas de tesão, pura magia,  enredo de paixão.
Corpos despidos, no reencontro marcado pelo tempo...
Na fúria da experiência, o dilacerar de emoção.
No tempo que não passou, dentro de nós.
Línguas que se encontram, corpos sedentos que se tocam..
Num delinear de fendas e montes.
Entre ruídos de loucos desejos...
De repente, o encontro.
No mais completo desatino...
O amor une nossos corpos
Num frenesi de delírios do tempo.
E no sexo mais extasiantes,
Buscas se completam no segredo mais bandido
Unindo  nossos corpos, num só êxtase de nós dois.



Socorro Carvalho



·         * Poema inspirado na história de amor de uma amiga muito especial. No passado eles não se permitiram a concretização desse louco sentir... Hoje, um tempo depois, o reencontro e o desejo se aflora mais forte e mais intenso ... Em meio aos DELÍRIOS DO TEMPO.



Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...