terça-feira, julho 22, 2014

OUTRO DIA NO CARARIACÁ...FESTIVAL DA LARANJA 2014


Final de semana animado com Festival da Laranja. Lá vou eu, lá vamos nós rumo à comunidade de  Carariacá em busca de diversão e alegria. Tudo isso em meio a muita festa e amizade. Os acontecimentos são imprevisíveis. Nunca se sabe.  

O convite, os detalhes e preparativos para o momento são inadiáveis, para que tudo funcione e o passeio seja agradável. Sampaio é o grande comandante. Comandante não do barco, mas da turma, da organização, preparativos, cuidados  e cada detalhe etc. auxiliado pelos colegas do esporte  Ivaldo Fonseca e Minael Andrade.


O almoço conjunto fez do picadinho o prato mais saboroso. Não apenas pelo tempero, mas pela descontração, as brincadeiras e presença da turma que se reuniu para viajar.  Satisfação e muita  conversa fiada tornaram o cenário mais divertido e animado. Para os não muito tímidos, também, uma oportunidade de fazer novas amizades. E fazer novas amizades, é sempre delicioso. Dessa vez, por exemplo,  pude conhecer  novas pessoas Ane, Inair, Edinho, Mirlén, Mir componentes da Banda Pizada Kent.

Conheci ainda jogadores e ex jogadores profissionais e outros amadores,  entre eles : Júnior, Hugo, Saulo, Romarinho e o boleiro ( esqueci,  no momento, o nome dele). Mas enfim, uma turma entusiasmada e bonita o que resultou em  muito papo e boas risadas, ao logo do trajeto da viagem.


Claro junto, também, na descontração seguiram na caravana os colegas e amigos da Rádio Rural:  Ivaldo Fonseca (Coordenador do Departamento de Esporte), Minael Andrade ( Coordenador do Departamento Comercial ),  Franciane Silva ( recepcionista), Jaqueline Paulino ( Estagiária do setor administrativo)  , Ronnie Dantas ( Coordenador do Clube do Ouvinte), Chico Carlota ( Operador de Transmissor), ( Jota Sousa (Repórte) e Raik Pereira ( Coordenador de Jornalismo da emissora).

Outra turma que não trabalha na rádio, mas que merece todo carinho e respeito é  seu João Marcineiro( preparador técnico) junto com Raimundo  Sampaio (técnico ) e a esposa  Marlene Sampaio (enfermeira do time), nossos  velhos conhecidos ,que dispensam qualquer  comentário. Contamos, ainda com  as presenças da professora Sílvia Fonseca ( esposa do Ivaldo), Ilda Araújo, Matheus, Gabriel e Rhian ( namorada e filhos do Ronnie ) e também nos acompnharam os três filhos do Minael. Com tanta gente sangue bom a viagem só poderia ser  boa, tudo  na normalidade. 


Porém, entre tanto momentos e situações  gratificantes. O bom é se ter  certeza de estar ladeada de  boas  amizades ao mesmo tempo  irradiando e recebendo energia positiva. Portanto, sou grata a Deus por esse privilégio, pela luz que Ele me deu e pela alegria que guardo de me sentir  luz e iluminar tudo ao meu redor, sem nenhuma  dificuldade pra ficar rodeada de amizades e sem precisar ser inconveniente, como certas pessoas. Olha só um bom exemplo.

 No corre corre dos preparativos da comida da galera,  lá foi  eu com meu bendito esquecimento. Arrumei quase tudo,  mas a toalha e a escova dental? Não coloquei na bolsa. Xi,   não é que esqueci. O pior é que  só lembrei minutos depois de iniciarmos a viagem, já bem  distante.

No ouvido de Franci ( minha colega, recepcionista da Rádio) comentei que tinha esquecido a toalha. E ela com aquele jeitinho e maior presteza me disse: “_ Se a senhora quiser dona Socorro lhe empresto a  que trouxe. Tenho outra na casa da minha sogra”. Puxa, quanta parceria e bondade, pensei. Claro, que  aceite e agradeci. Então pensei,  a  escova era de menos, encontraria numa “taberna” qualquer na própria comunidade.


Na hora do jogo, comentei  com Jota Sousa, ( grande companheiro de trabalho na Rural e parceiro de viagem)que precisava ir a uma taberna. Ele então me indagou o que eu queria comprar. Falei que havia esquecido a escova e ele, a exemplo de Francy, disse:_” Deixa que te arranjo Help, comprei um pacote com três escovas, te dou uma”. Puxa, que legal!


Cada vez  tenho mais certeza de que  só colhemos mesmo  o que plantamos. Obrigada meu Deus pelas boas sementes que germinei e pelas   amizades vindas como bons  frutos.  Só me resta mesmo a agradecer a Francy e Jota, pela amizade e companheirismo.  Coisas  desse tipo não se compra, se conquista a partir da empatia  que circunda nossas relações.



Em Carariacá, Francy foi para casa da sogra, mas fiquei na companhia,  mais particularmente, de Jota, Chico e Raik três ótimos companheiros, que me trataram  com todos os cuidados  e o mais legal me fizeram rir demais com as observações, cada uma. Nossos momentos, no Carariacá,   foram super agradáveis de  alegria e de felicidade, que nenhum dinheiro paga.




Mas voltando à viagem. Toda diversão, de grande maioria do pessoal,  ficou mesmo por conta de uma turma especial que veio de Alenquer. Isso mesmo, Alenquer.  Um time formado de forma ímpar, só por homo afetivos. Gente linda e feliz, que encheu de alegria cada momento da estada naquela comunidade. Não aprendemos o nome de todos ou todas.  Uma coisa sei eles ou elas são muito bons  ou boas de bola.

Contra o time do  Derrotas Futebol Club as meninas ou meninos deram um show de ginga, sintonia e entrosamento com a bola. Sinceramente, diga-se de passagem,  turma de um encantamento tão grande que até  fiz uma foto oficial  do conjunto. Uma foto que ficou linda mostrando  com todo o charme peculiar de cada um(a). Pena  não ter conseguido registrar o aquecimento estranho deles (as) a beira do gramado.  O banho descontraído junto dos muitos machos da viagem, também, foi um arraso. 



Meu amigo Jota Sousa ,  por exemplo,  não se conteve e pediu o registro primeiro com Rebeca e depois com a doce Nicolle. Nicolle é de uma simpatia ímpar. Apesar do nome é um  menino que adora ser chamado carinhosamente de Nicolle, com dois “L ‘ s” iluminava tudo com seu sorriso radiante da mais completa felicidade. Rebeca é outra menina que nasceu menino, no momento esqueci o nome dele, mas é  outra figura inesquecível e prefere ser menina.


 Isso sem falar do “menino – menina” de rosto bonito e bumbum delicado. No barco “delas”  uma felicidade total e contagiante de pura energia positiva.  Em cada uma delas sentia-se  uma alegria íntima aflorando em cada  gesto, em cada detalhe. Show mesmo era ver os vestidos bem apertados  sobre o fio dental, as micro saias coloridas e as perucas extravagantes ocuparam o lugar dos shorts e calções, agora o preparo era para experimentar outro momento. O momento de apresentações culturais, do Festival da Laranja,  no salão paroquial da comunidade. 



Os meninos – meninas, certamente devem ter sido  criticados, pelos tais “machões” , mas sem dúvidas são de uma competência admirável. De dia jogando bola e a noite ainda sobrando energia para uma dança animada nas  danças que apresentaram e, também na festa dançante. Quanto fôlego e alegria daquelas “meninas” bonitas. Eu heim.  Muito show. Junto da turma, no final da tarde, a apreciação do banho foi uma higiene mental de tantos risos e fotografias.



 Enquanto na proa do barco Nicolle e Rebeca aproveitam para arrumar os fios do  vestido, a maquiagem, os  detalhes do cabelos. O mais bacana disso tudo  foi ver a  alegria expressa nos rostos delas,   em cada belo sorriso. Sinceramente. Muito show. Não sei como alguém é capaz de trata-los (las) com tanta maldade.  Não tenho preconceito nem tampouco nada contra os homo afetivos. Sou sim a favor de ver as pessoa felizes e realizadas,  não importa as preferências sexuais. 



O importante é ser feliz e ponto. Afinal de contas quem sou eu para condenar alguém? Voltando as meninas de Alenquer.   Nicolle e Rebeca ainda participaram do show de calouros. Mas sinceramente cantar não é muito a praia delas e o canto saiu desafinado com as meninas cantando com voz de macho. Completa incompatibilidade de roupas e vozes.  Enfim, esse ano o passeio no Carariacá foi ainda mais  fenomenal, conforme dizia, José Wilker na novela da  Globo.



A presença da turma de Alenquer deu um ânimo enorme. Pena que minha câmera, caiu na areia na  hora que estava indo do barco para festa, e não quis mais prestar. Por isso, nem pude registrar a noite das meninas alegres de Alenquer nas atividades, da noite cultural  no salão paroquial.

No meio da noite passeando na praça da comunidade estava a  turma com  vestes coloridas, ousadas, voz maneira com caras e bocas fazendo  a festa e roubando  muitos olhares da galera que lá estava prestigiando a festa. Uns com certeza apontando o dedo, agindo com indiferença e certamente vários, assim feito eu,  achando o máximo toda aquela mistura de energia. 
 

Enfim, cada um tem sua opinião e concepção. Eu , por exemplo, tenho a opinião de que ser GAY não é crime. E minha concepção é de que independente da raça, classe social, padrão econômico o homo afetivo(a) tem pleno direito  ser gay ,  viver  a vida em plenitude  ser feliz. Ninguém paga suas contas... Já pensou?


Então, assuma-se gay  seja feliz, simples assim. O resto que se dane. Sabe por quê? Porque Nicolle, Rebeca e as migas delas que estavam no  barco  são bem resolvidas,  assumidas e o mais interessante...São  FELIZES. 


Outra atração que destaco da viagem ao Carariacá é a presença do pequeno Rhian Ítalo , filho do Ronnie Dantas e  da  Ilda Araújo. Rhian com sua presença encheu de vida e inspiração nosso passeio. Aquele sorriso  inocente, bonito completaram a paisagem. Sem falar da “boquinha” que ele faz para que a foto seja tirada. Uma graça.


Como se entendesse tudo Rhian observa, sorri, conversa (aos seu modo) e presta atenção em tudo. Porém, o que mais chamou a atenção dele em Carariacá foi a presença da bola , na lateral do campo. Com uma intimidade Rhian manuseia a bola como  gente grande. O mais legal ainda é que ele pediu pra eu tirar a foto. Muito fofo esse jogador, que se tivesse entrado em campo quem sabe fizesse a diferença. Afinal, tomamos de 2 X 0 no placar. 


 
O Rhian é uma graça. Encanta pela presença e pelo jeito inocente de proceder, de olhar, mexer e balbuciar muitas coisas que só o pai e a mãe dele sabem explicar. Daqui a algum tempo, oxalá, que ele queira jogar no show bola para quem sabe assim possamos conseguir um placar favorável o tendo como jogador. Valeu Rhian por deixar nosso passeio mais bonito. 



Meu amigo Chico Carlota ( operador de transmissor da emissora) também foi uma atração a parte, com seu jeito engraçado, gestos e  palavras. Um cidadão do bem. Humilde e de uma grande bondade. Um companheiro que se pode contar para todas as horas e momentos. Junto de nós ( eu, Raik e João)  ele somou em nossos grandes e  estimáveis momentos. Não é mesmo João?



 Chico é daquelas pessoas que faz tudo que se pede com  bondade e humildade. As vezes sem ao menos receber um simples muito obrigado. No entanto, Chico nunca perde a alegria, nem tampouco a essência da alma. Em todas as manhãs está na portaria da emissora nos encontrando com galantes e otimistas palavras. Pode até parecer bobagem e tal, mas em minha vida essa atitude do Chico é de um preço incalculável.  Na viagem não foi diferente e de vez em quando ele estava a dizer o quanto me gostava e considerava.

Em meio as muitas coisas que nos fizeram sorrir no passeio Chico contribuiu em vários momentos. Uma delas foi transformar em cavalo, um boi imenso. Mas sobre as peripécias do Chico, não entrarei em detalhes. Só quero dizer que o Chico com toda simplicidade que possui é um cara humilde e prestativo.

Cidadão que tenho a maior estima e respeito. Pois na essência da simplicidade dele consegue, todos os dias,  me repassar muitos ensinamentos, inclusive o de  ser uma pessoa melhor.Esse tipo de pessoa gosto de ter por perto. Enfim,  tenho  certeza que o Chico  se divertiu bastante e certamente trouxe no isopor boas lembranças do Carariacá. E também o sabor da laranja e do caldo de cana que degustou por lá. 




A paisagem do lugar é divina. Só mesmo Deus pode  proporcionar tamanha beleza. Contraste perfeito do homem encantado com a natureza. Até aproveitamos o cenário para o registro de algumas fotos, para perfil de face book. Junto de João Sousa ( o Jota Sousa – repórter) e Raik Pereira ( Coordenador de Jornalismo da emissora) nos deslumbramos e registramos o momento. Olhar para o rio bonito a refletir nuvens e matas, sobre a luz do sol é uma delícia. 



 A pequena Monaína Andrade, filha do colega Minael  Andrade, também teve momentos registrados seja na lateral do barco, com a paisagem de fundo ou mesmo  contracenando com um lindo anoitecer, sem igual. Desde pequena já entende que registrar momentos é maravilhoso e volta e meia estava dizendo: _” Tira minha foto aqui, tia”. Claro, com aquele sorriso lindo que ela tem.


O olhar curioso e ao mesmo tempo distante de Chico Carlota também foi registrado. Penso que estava encantado, não sei se com o momento, ou com a presença bonita de tantas gatinhas, na praça. Isso só ele pode explicar. Prefiro não comentar.



E Franciane Silva, a Francy? Registrei-a na bajara que a levou até a casa da sogra. Em meio ao sol quente a fotografia ficou massa.

Nas localidades ribeirinhas os rios são estradas e caminhos, movimentam esse trânsito navios, balsas, barcos e bajaras. Eis ai o  encanto poético que  enche os olhos da mais completa inspiração.


A sombra de uma árvore encontrei, também,  a turma da banda Mir, Mirlén e companhia estavam lá  só de boa a espera de chegar a noite para embalar a moçada.

Enquanto a noite não chegava aproveitavam o momento para uma boa prosa enquanto  acertavam os últimos detalhes do repertório, para a festa, após a meia noite.

Outros  registros faço questão de citar. Um deles foi ver João arrumando e amarrando o cadarço do sapato do Chico, numa completa lição de humildade. Achei lindo o gesto do amigo para com o outro. 



Caminhando na estrada indo com Ronnie e Ilda a uma determinada casa encontrei uma casa e uma criança na janela. Nossa uma imagem singular. Fiz questão de registrar. Ao me aproximar e perguntar o nome dele. Timidamente e com uma vozinha gostosa ele disse: _”É Pedro”. Logo disse, tá entendido porque você é tão bonito. E registrei o menino na janela. Lindo, lindo. 


A moça concentrada “secando” o show bola, nem percebeu a  hora da foto. Ela secou tanto que nosso time até perdeu. ( uma forma de justificar a perna de pau de nossos jogadores). 


A torcida era diversificada e se assistia o jogo de forma espalhada, teve até uma turma que ficou as margens da copeira sentados no chão de olhos voltados para o jogo no gramado. O povo de Carariacá com sua essência e linda simplicidade.



 Outros registros foram feitos pelo meu colega Raik Pereira que registrou a Igreja de São Sebastião, a praça, o mastro da festa, detalhes inspiradores e outros até  bem engraçados.

Depois de tantos risos e diversão, ainda curtimos um pouco da festa com a Banda Pizada Kent e vocal de  Mirlén e Edinho Pancadão sobre  um som ensurdecedor que ia  invadindo  nossos  tímpanos a dentro. Ufa!! Mir fez questão, ainda, de ir pessoalmente entregar um cd da banda pra gente. Que show! 




O tempo passou devagar, mesmo assim chegou a hora de vir,  e antes das duas da  manhã já era  hora de  voltar pra Santarém. E em torno  das quatro  hora,  sobre o cais na orla da cidade, cada um e cada uma  seguiu de volta pra sua casa. Graças a Deus foi ótimo o passeio. Tudo na maior harmonia e tranquilidade.  Em nome do Show Bola só temos mesmo  a agradecer pela acolhida da turma na comunidade e por mais um convite para o Festival da Laranja em Carariacá. 


Antes de encerrar vale ressaltar que todas as guloseimas vendidas na barraca da praça estavam deliciosas. Sinal de que tudo por lá foi preparado com amor.  As senhoras da barraca, na praça, todas elas bem simpáticas nos recepcionaram com um  sorriso no rosto e  deram um show de atendimento...A festa terminou com sabor de um saboroso pudim de laranja. Huumm!! Uma delícia!! 

Socorro Carvalho

Ivaldo e Minael obrigada pelo convite.
Valeu!!


Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...